ACONTECEU EM VENEZA

SINOPSE


Bem-vindo a Veneza,  a Cidade do Amor.

Ele traiu, mas foi uma única vez! Evie Dexter prometeu perdoar seu novo, Rob – e todos os esforços para absolve-lo de seus pecados estão valendo a pena: nos últimos 10 dias, ela só o chamou de cafajeste 11 vezes.
Graças aos céus, sua carreira de guia de turismo está indo muito bem. Evie já conheceu a elegante Dublin, a estilosa Marrakesh e a descolada Amsterdã. Quando é convidada para visitar, com todo o luxo e glamour, a sensual cidade de Veneza, com seu vinho delicioso e os italianos impetuosos, ela agarra a oportunidade com unhas e dentes.
Se você está à procura de romance, já encontrou o seu destino: embarque em Aconteceu em Veneza, viaje com Evie e tente responder a esta pergunta: o que você faria se estivesse no lugar dela?

OPINIÃO:

Comprei esse livro num impulso. O título me chamou atenção por se passar em Veneza, a cidade mais linda do mundo (minha humilde opinião), e a autora haver sido guia de turismo. Nossa! Sou formada em Turismo e além de turismóloga, meu sonho era ser guia de turismo. Pensei: Puxa, Molly Hopkins tem histórias para contar.

Pelo que pude observar a história é a continuação de Aconteceu em Paris, também da autora. Pelas resenhas que li, narra como Evie e Robert se conheceram.  E os personagens do primeiro livro, reaparecem no segundo. O livro tem umas tiradas muito engraçadas.

Começa com Evie e Robert curtindo uma viagem a Barbados, após um período de separação de dois meses. Ele a havia traído, mas a convenceu de que foi apenas uma vez, e, muito apaixonada, o perdoou.
Desde o início eu não gostei do tal Robert ou Rob, como todos o chamam. Ele me pareceu controlador, chato, mal-humorado, insuportável. Ele e Lulu, a amiga que dividia o apartamento com Evie, nunca se deram bem.  As brigas entre ambos eram divertidas.
Evie, para conseguir mais libras e ter como pagar a fatura do cartão de crédito, trabalhava no bar de Nikk, um jovem e sensato grego, que empregava não só a louca consumista, mas também sua mãe, seu tio e dois outros gregos malucos. Essa é a parte engraçada da história.


A história se arrasta demais. Primeiro Evie vai para Dublin com John Jackson, depois para Marrakesh, e quando descobre que Rob é um traidor contumaz, pois o cara é casado e tem um filho, vai curar as mágoas em Amsterdã.  Rapidinho ela cura a dor de cotovelo com compras e mais compras, todas pagas, claro, por John. Depois vai a Paris levar turistas várias vezes, e nada de Veneza.

Esperei 300 páginas para chegar a Veneza, faltando apenas 162 para algo realmente acontecer ali. Pois é. De repente acontece e não me convenceu, apesar de no início eu torcer por Nik, foi rápido demais. Em momento algum ele deu a entender que era a fim dela, tiveram um romance em Veneza, brigaram, fizeram as pazes e o livro terminou.

Enquanto eu lia, lembrava de filmes como Uma linda mulher(John indo às compras com ela como Richard Gere ia com Julia Roberts, e depois lhe dava um belíssimo colar de safiras) e Um lugar chamado Notting Hill. Apesar das partes engraçadas, da inconveniente Lulu (Hugh Grant e aquele amigo loiro que dividia o apartamento com ele em Notting Hill), da irmã louca e fofoqueira,  das sobrinhas gêmeas que ela jura que uma delas é um poltergeist, da futura sogra Maria e suas treze irmãs, para mim o livro é bem esquecível, pois pouca coisa aconteceu em Veneza. Já li livros nacionais bem melhores que esse e bem mais memoráveis. 

É minha opinião.




Aconteceu em Veneza – Molly Hopkins

Editora: Novo Conceito

Páginas: 464


Edna Guedes

2 comentários:

  1. Gosto de boas tiradas nos livros, mas o enredo tem que ser ágil sem se atropelar. Criar uma expectativa por tantas páginas e não desenvolver bem a situação é desanimador; pelo menos o cenário é animador. rsrs Parabéns pela resenha.

    atraentemente.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A história não é ruim, apenas se arrastou demais. Um pouco de frustração, apenas isso.

      Excluir

Comente! Sua opinião é muito importante para mim.