QUAL DELES VOCÊ ESCOLHERIA?

Eu sou cafona!


Gente, como eu sou cafona! Adoro o reality show The Bachelorette. Ele é tão cafona, tão cafona, mas tão cafona, que eu não consigo deixar de assistir essa edição. É o seguinte: A outra lá resto de um outro programa onde estava tentando fisgar um noivo (The Bachelor), teve sua própria chance de escolher entre 30 homens lindos, bonitos, mais ou menos bonitos, de bom emprego e desempregados, um bofe no final. Começa com 30 e vai anulando de “tulha em tulha”, até chegar o momento de ficar com apenas dois. A escolha para ficar na casa é dando uma rosa a cada um deles e perguntando: “Zé, tu aceita esta rosa?” E Zé aceita. E os que não ganharam a rosa, vão embora da casa, uns pensando que não tiveram uma chance de se mostrar, outros que ela cometeu um erro, pois ele com certeza seria o melhor para ela, pois está ali com a melhor das intenções, ou seja, casar com a encalhada ao final. E um deles será o “campeão”, o que ganhará a única rosa restante. Enfim, comecei a assistir casualmente e como sou perturbada, tenho que terminar. Na próxima sexta-feira será a final e como não aguentei de curiosidade já sei quem ela escolherá (o programa é de 2009), será o que eu também teria escolhido.
Agora vamos falar sobre essa exposição desnecessária. Quem de vocês teria coragem de ir a um programa de televisão escolher um namorado? Cara! O programa é medonho e acho que é por isso que assisto. Nunca teria essa coragem, sou covarde demais para isso. Acho que morreria seca e virgem a ir a um supermercado desse tipo. Acho exótico tanto para os caras que se habilitam, quanto para a “muierada” que se submete a escolher um homem. É que no curso do programa ela sai com todos eles, beija todos eles, e quando vai diminuindo, até vai ao quarto com eles (provavelmente para rezar, são muito religiosos) e isso tudo é filmado, televisionado e exibido no mundo inteiro, pelo menos para quem tem TV a cabo. A melhor parte é o episódio final, o The final rose. Ela escolhe um bofe e ele pode se ajoelhar ou não e pedi-la em casamento, oferecendo-lhe um enorme anel de compromisso de diamante, só não sei quem paga, se o bofe ou o programa, e aí é aquela choradeira, promessas de amor infinito e “vou te fazer muito feliz”. Daí a maioria não dura três meses.
Mas por que o melhor é o episódio final? Porque é aí que começa a baixaria. É a maior lavagem de roupa suja. Os 30 candidatos voltam no final para a sessão tanquinho de lavadeira. As acusações, as mentiras ditas, os que estavam lá apenas para se promover, os que eram falsos, é um verdadeiro bando de mariquinhas. Eu retornaria ali, aliás, me inscreveria se me pagassem realmente muuuuuuito dinheiro. O bom é que tem uma parte que fica em total silêncio, porque não foram destaques no programa, então tanto faz se ele foi candidato ou não, não despertou o interesse dela, então só está lá para fazer número. O programa é todo filmado e só quando passa o último episódio é que o casal, felizes pombinhos, podem assumir para o público. Daí vem os 15 minutos de fama, tapete vermelho, Canal E!, perguntas inteligentíssimas como “o que você está usando?”, notícias de quando estavam passeando em Hollywood, quando almoçaram juntos, quando pareciam brigar, quando ela estava ou não usando o anel, estavam comendo actívia com Johnnie Walker, essas coisas. Então, só me resta esperar a final que eu já sei qual é e sorrir bastante. E ultimamente é o que me importa, sorrir, não importa com o que.
Beijinhos, 

Edna Guedes.

Edna Guedes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para mim.