150 TONS - MINHA OPINIÃO


Muito se tem falado sobre os livros do momento, 50 tons de cinza, 50 tons mais escuros e 50 tons de liberdade, este último a ser lançado no próximo dia 10 de novembro pela Intrínseca. Pois bem, comprei os dois primeiros e gostei bastante. É um livro de fácil compreensão (imagina), linguagem simples, não nos leva a pensamentos profundos, e é uma boa diversão. No primeiro livro da série, eu cheguei a pensar que o relacionamento da Srta. Steele e do Sr. Grey jamais daria certo, visto que são muito diferentes em quase tudo. Mas com o desenrolar da história, você percebe que Christian vê em Anastácia a possibilidade de levar uma vida normal, porque por mais rico que ele seja, por mais coisas materiais de que ele possa dispor, há um vazio enorme nele que só é preenchido quando ela surge em sua vida.  Vê-se que no fundo ele ainda é um menino ao confundir o estilo da prática sexual ensinada, incutida nele quando tinha 15 anos, com a personalidade dele. Um é escolha de vida e a outra é o que ele é. E ele não é sádico. Apenas não aprendeu a se deixar ser amado, a receber amor. Aos poucos ele está aprendendo e o burburinho do livro sobre as cenas de sexo, vão ficando para trás e o livro vai se tornando um romance legal e leve com algumas tramas bobas, porém possíveis e aceitáveis, como outro qualquer do gênero.

Eu sou do contra e comprei o livro porque vi sérias críticas negativas a respeito dele. E como eu só acredito em minha opinião...
Li ambos e confesso, estou apreensiva com o terceiro. Gostei dos livros e recomendo sim. Adoro histórias leves e com casais reais. Espero que os diretores de hollywood não estraguem tanto a história -que já não é lá tão profunda- como fizeram com a Saga Crepúsculo, que também já não é lá essas coisas. Onde já se viu vampiro banguela? Só na cabeça daquela diretora sem noção mesmo.

Edna Guedes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! Sua opinião é muito importante para mim.